Acesso à informação
  • Diminuir tamanho do texto
  • Tamanho original do texto
  • Aumentar tamanho do texto
  • Ativar auto contraste

Observatório Saúde na Mídia

Observatório Saúde na Mídia

Início do conteúdo

Quem somos

 

 

Visão Geral: síntese do modus operandi

 

O processo de trabalho do Observatório Saúde na Mídia possui quatro fases:  coleta de dados > análise > preparação dos resultados > circulação do conhecimento (divulgação científica).

 

Coleta de dados

> Monitoramento diário de alguns dos principais periódicos brasileiros: leitura de jornais impressos e seleção do que se refere à saúde, dentro dos critérios definidos no protocolo de clipagem.

> Digitalização da página impressa (até 2013) ou captura do respectiva página do jornal com texto sobre saúde em pdf, arquivamento e indexação em banco de dados.
 

 

Jornais impressos:
 A partir de agosto de 2008, foram  monitorados diariamente O Globo e O Dia (Rio de Janeiro), Folha de S. Paulo (São Paulo),  Correio Braziliense (Distrito Federal), Folha de Pernambuco e  Jornal do Commércio (Pernambuco) . Atualmente, são monitorados O Globo e Folha de São Paulo. Para projetos específicos foram inseridos outros jornais, como o Estado de Minas (Minas Gerais) e o Zero Hora (Rio Grande do Sul). O Jornal da Tarde(São Paulo) foi monitorado entre 2008 e 2012, até o fim de seu funcionamento. A partir do ano seguinte, o Estado de São Paulo (São Paulo) passou a ser clipado. 

 

Cobertura televisiva:
Vídeos sobre saúde transmitidos entre 2010 e 2011 pelas seguintes emissoras: da TV Globo,   Jornal Nacional, Jornal Hoje, RJ TV, DF TV, DF Record, NE TV ; da TV Record RJ Record, DF Record; do SBT o TV  Jornal Notícias;   e da TV Brasil o Repórter Brasil.   

 

Definição do recorte:
Um dos desafios do OSM é a definição dos conteúdos que deverão ser selecionados. Identificar como a imprensa constrói os sentidos sobre a saúde implica se aproximar das lógicas de funcionamento da mídia e, desse modo, perceber o que os veículos consideram como saúde. Não se trata, portanto, de fazer recortes temáticos a priori, tais como “SUS na mídia”, “saneamento”, “violência”, “meio ambiente" etc. Busca-se verificar, na medida do possível, se os jornais associam  o texto jornalístico à questão da saúde, com sua presença nas seções assim classificadas, ou na sua associação explícita com atores, instituições e órgãos da saúde. 

 

Análise dos dados

 

Analisar a saúde na mídia pode envolver diferentes métodos e graus de profundidade variados. O Observatório busca entender o cenário cotidiano da produção dos sentidos da saúde nos jornais, em dimensão quali-quantitativa, e também possibilita o aprofundamento da análise qualitativa com períodos de tempo maiores, tendo como perspectiva teórico-metodológica privilegiada a Semiologia dos Discursos Sociais. A cada novo estudo, podem ser produzidos, entre outros:

 

> Relatórios mensais: análises conjunturais sobre os temas de destaque no mês. Além de uma breve descrição quantitativa, com destaque para a distribuição por jornal e para o caráter opinativo ou noticioso dos textos, busca-se identificar e explicitar os mecanismos através dos quais a mídia propõe sentidos sobre determinada temática, destacando interesses defendidos pelos veículos .

 

> Análises qualitativas: investigações de caráter acadêmico através de projetos de pesquisa e trabalhos de pós-graduação stricto e lato sensu. Embora possam utilizar metodologias variadas, o OSM assume como opção metodológica prioritária a Semiologia dos Discursos Sociais, que privilegia a investigação dos conteúdos sobre saúde nos jornais (o que falam?), das vozes contempladas (quem fala?), dos modos de dizer (como falam?), do contexto textual (onde falam?) e do contexto intertextual (redes de sentidos mobilizadas).  

 

As observações sobre os textos jornalísticos em período determinado, conforme tema e foco da pesquisa, são sistematizadas pelos pesquisadores em textos e gráficos para subsidiar as análises. 

 

Circulação do conhecimento 

 
Integram as atividades do Observatório Saúde na Mídia a divulgação das reflexões produzidas por seus integrantes e parceiros. Além dos textos e outros materiais disponibilizados neste site, espaço privilegiado de circulação de conhecimentos, também estabelece pontes com a comunidade científica e com a sociedade em geral por meio da publicação de artigos em revistas científicas, participação em eventos, produção de livros e relatórios, além da realização de cursos.

 

O OSM também prevê a realização de eventos para discussão do campo, como o Observatório Saúde na Mídia em Debate, onde convidados com diferentes atuações  e origens trarão reflexões sobre os temas de interesse do OSM.

 

Voltar ao topoVoltar